Libertação – Um lacinho no dedo

LIBERTAÇÃO – UM LACINHO NO DEDO
Êxodo 13.1-16

Deus inesquecível – Salmo 103.2

um lacinho no dedo“LIBERTAÇÃO – UM LACINHO NO DEDO” foi o título escolhido para este sermão devido às recomendações de Deus para o povo manter vivo na memória as Suas intervenções milagrosas.

Pano de Fundo Histórico: Deus já havia agido poderosamente até este ponto da história e continuaria a fazê-lo até o fim, porém, a jornada à frente seria muito difícil, e somente uma fé inabalável no Senhor poderia lhes garantir a vitória.

Sabemos que uma das melhores maneiras de manter a confiança em Deus é relembrar continuamente o que Ele já fez por nós, para isso, também, Deus institui a Páscoa dos Judeus, uma festividade com PRECEITOS importantes.

“Essa festa será como um sinal para vocês, como se fosse uma coisa amarrada na mão ou na testa, e os ajudará a lembrarem de recitar e de estudar a lei de Deus, o SENHOR; pois com grande poder ele os tirou do Egito.” (vs 9).


1º) O PRECEITO DA JUSTA RETRIBUIÇÃO (vs 1-2 e vs 12-15)

Para por “um lacinho no dedo” do Seu povo para que se lembrassem continuamente da sua libertação do Egito, Deus estabelece o Preceito da Justa Retribuição: Ordenou que todos os primogênitos fossem dados a Ele.

“O SENHOR Deus disse a Moisés: — Separe para mim todo primeiro filho. Todo primeiro filho homem dos israelitas e todo primeiro filhote macho dos animais domésticos são meus… vocês darão ao SENHOR todo primeiro filho homem. Todo primeiro filhote macho também pertencerá a ele.”

No entanto, eles poderia ser resgatados (remidos, comprados) pelas famílias: “Mas, se quiserem ficar com o primeiro filhote macho de uma jumenta, ofereçam a Deus um carneiro; se não quiserem, quebrem o pescoço do jumentinho. Fiquem com todo primeiro filho homem de vocês, pagando por ele o preço determinado.”

O que tudo isto significa? Significa que o “primeiro” (o melhor) de todos os nossos bens pertence a Deus em retribuição ao fato do SENHOR ter-nos libertado da escravidão do pecado.

A preocupação com este Preceito foi manifesta por Davi, no Salmo 116, verso 12: “Que darei eu ao Senhor, por todos os benefícios que me tem feito?”

Muitos “cristãos” da atualidade são mesquinhos, egoístas, egocêntricos (pensam só em si), injustos (não retribuem a Deus a sua salvação) e ingratos. E quanto a você, o que tem dado ao SENHOR por todos os seus benefícios?

PONTO-CRUZ (use este PC aqui)  – O que é isso?
Fomos remidos não por dinheiro, mas pelo sangue de Jesus, que nos remiu dos nossos pecados (Colossenses 1.12-14). 

2º) O PRECEITO DA SANTIFICAÇÃO (vs 3, 6 e 7)

Para por mais “um lacinho no dedo” do Seu povo para que se lembrassem continuamente da sua libertação do Egito, Deus ordena que eles não usem o fermento na massa do pão na semana da Páscoa. Mas, por que, se o fermento é uma coisa boa?

Sim, o fermento é uma coisa boa, claro, mas na Bíblia ele também é tomado como símbolo de influência corrupta e representa o pecado (leia Mc 8.15 e Gl 5.9), e, neste contexto histórico, ele é tomado como símbolo de pressa de escapar. O povo tinha que sair rápido do Egito. Precisava de muito pão para a viagem, mas não tiveram tempo para fermentar tanta massa. Tiveram que fazer os pães às pressas assim, sem fermento. O pão sem fermento lembra isso, a saída às pressas.

“Moisés disse ao povo: — Lembrem deste dia, o dia em que vocês saíram do Egito, onde eram escravos. Este é o dia em que o SENHOR os tirou de lá pelo seu grande poder. Portanto, não comam pão feito com fermento… Durante sete dias vocês comerão pão sem fermento; e no sétimo dia haverá uma festa religiosa em honra do SENHOR. Nesses sete dias vocês comerão pão sem fermento. Em toda a sua terra não deverá haver fermento, nem pão feito com fermento.”

O que tudo isto significa para nós, hoje em dia? Desejo de Santificação e Pressa de escapar do pecado. O apóstolo Paulo expressou tudo isso em Romanos 7.24: “Miserável homem que eu sou! quem me livrará do corpo desta morte?”. E quanto a você, tem pressa em sua santificação ou está “empurrando o pecado com a barriga”?


3º) O PRECEITO DA GRATIDÃO

Para por mais “um lacinho no dedo” do Seu povo para que se lembrassem continuamente da sua libertação do Egito, Deus institui a Páscoa, uma alegre celebração da libertação da escravidão, uma expressão de gratidão.

Hoje, para nós, a Páscoa deve ser realizada da seguinte maneira:

  • Com a família.
  • Testemunhando aos nossos filhos o que o SENHOR fez por nós.
  • Explicando que Jesus nos remiu dos nossos pecados.
  • Recitando e explicando a Lei do Senhor.


CONCLUSÃO

Deus colocou três “lacinhos nas mãos” dos israelitas, para eles jamais se esquecerem da sua libertação da escravidão do Egito, e cada um destes preceitos tem um significado importante para nós:

  • Os primogênitos pertencem ao Senhor: O PRECEITO DA JUSTA RETRIBUIÇÃO.
  • Pão sem fermento: O PRECEITO DA SANTIFICAÇÃO.
  • A Páscoa, uma festa alegre: O PRECEITO DA GRATIDÃO

E quanto a você, tem Retribuído ao Senhor? Tem se Santificado? Tem demonstrado Gratidão?


Título: Libertação – Um lacinho no dedo
Autor: Pr Ronaldo Alves Franco
Site do Pastor
Data: 01/06/2021

Deixe seu comentário logo abaixo.


Veja também nossos Artigos

UM LACINHO NO DEDO

Antes de mais nada, paz. Acima de tudo, amor. Enquanto houver desespero, fé.  Portanto, o amor. Por isso, paz. Por isso, amemos. Eventualmente, afastar. 

1 Comentário em “Libertação – Um lacinho no dedo”

  1. Sidney Ribeiro Balut

    Os primogênitos deveriam ser consagrados ao SENHOR,isto é,pertencem ao SENHOR.Para nós cristãos é até um sistema complicado de entender porque não se aplica ao nosso tempo.

    Tudo isso para que o israelita jamais esquecesse de como foi sua libertação do Egito e Quem o resgatou.E não foi uma coisa tão facinha assim não pois foi custosa e teve de haver sacrifício!”Ao irmão,verdadeiramente,ninguém o pode remir,nem pagar por ele a Deus o seu resgate(pois a redenção da alma deles é caríssima ,e cessará a tentativa para sempre”(Sl 49.7-8).Então a salvação em Jesus não pode ser banalizada como muitos a fazem hoje.

    Assim como Israel tinha de testemunhar perpetuamente ao mundo a salvação que Deus lhe deu no Egito,assim também o cristão tem de testemunhar continuamente a salvação que recebeu de Jesus na cruz do Calvário.O israelita festejava a sua libertação do Egito e o cristão festeja,se gloria “senão na cruz de nosso Senhor Jesus Cristo”(Gl 6.14).

    Essas coisas estabelecidas por Deus são sérias mesmas pois Ele considera a pessoa que recusar crer em Jesus como o acusando de mentiroso!E isso é um pecado gravíssimo!”Aquele que não dá crédito a Deus,O faz mentiroso”(1 Jo 5.10).

    Então,em termos simples,como podemos retribuir ao Senhor,sermos santos e agradecidos a Ele?A resposta é :trabalhando na obra santa!

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.