MOISÉS SUBIU O MONTE

Êxodo 24


“MOISÉS SUBIU O MONTE” parece-nos um bom título para este esboço de sermão em razão de que a prática de “subir o monte para orar” (especialmente à noite) tem-se disseminado em várias partes do mundo, porém, à medida em que esta prática aumenta, aumentam também os relatos de incidentes vergonhosos que precisam ser  evitados.

Pano de Fundo Histórico: O povo havia saído do Egito e já estava em marcha rumo à Terra Santa, mas pararam junto ao Monte Sinai, onde Deus deu a Lei para Moisés, após orientá-los sobre os CUIDADOS que deveriam ter para subir o monte.


PRÉVIA (alguns dos CUIDADOS prescritos pelo texto são…)

  • OBEDIÊNCIA
  • TEMOR DE DEUS
  • ADORAÇÃO
  • RELACIONAMENTO REAL COM DEUS

1º CUIDADO: OBEDIÊNCIA (Ex 24.1a, 2, 3, 7, 12, 13, 14 e 15)

É Deus quem está no controle, portanto a decisão e os parâmetros para subir o monte são Dele. Confira: O povo só poderia ir até o pé da montanha. Os anciões podiam subir um pouco. Josué um pouco mais, e Moisés, somente ele, até a presença de Deus.

Antes de mais nada, alerto aqui que muitas pessoas estão indo ao monte em busca de experiências e sensações dramáticas, e não da presença de Deus, propriamente dito.

Também tenho visto muitos irmãos irem orar no monte devido a uma interpretação errada de Provérbios 8.17: “Eu amo os que me amam, e os que de madrugada me buscam me acharão”. Este versículo não é um chamado à oração na madrugada, mas, sim, ao estudo da Palavra.

Certamente devemos “orar sem cessar”, porém, devemos (e podemos) orar em qualquer lugar, inclusive no monte, é claro, mas isto deve ser feito em pleno acordo com a vontade de Deus, e não da nossa própria vontade ou curiosidade.

Outro ponto importante é destacar que o “monte” (lugar elevado) não é somente aquele pedaço de terra e pedras, o monte (lugar elevado com Deus) pode ser em qualquer lugar, inclusive no seu quarto.


2º CUIDADO: TEMOR DE DEUS (Ex 24.9-11)

Eles “viram o Deus de Israel”, não em sua plenitude (privilégio concedido somente a Moisés, Ex 33.19-23) e, mesmo sem saber, correram risco de morte: “Deus não matou esses líderes de Israel; eles viram a Deus e depois comeram e beberam juntos” (vs 11).

Enfim, o que desejo ressaltar aqui é devemos ter muito temor ao nos aproximarmos da presença de Deus.

Infelizmente, já ouvi relatos de atos absurdos praticados sob o manto da escuridão no monte, inclusive atos sexuais de traição conjugal e fornicação.

Lembrem-se, meus irmãos, Deus é amor, mas também é fogo consumidor: “A glória do SENHOR desceu sobre o monte, e para os israelitas a luz parecia um fogo que queimava lá no alto”. (vs 17)


3º CUIDADO: ADORAÇÃO (Ex 24.1b, 9-11)

No entanto, reconheço que muitos irmãos sobem ao monte para orar e adorar a Deus, mas, até mesmo a adoração é orientada por Ele. Ou seja, não é do nosso jeito.

  • A adoração deve começar antes de subir o monte (vs 1b). Não adianta viver uma vida como se fosse um desviado e subir “o monte” em busca de experiências e sensações.
  • Moisés escreveu todas as leis de Deus e construiu um altar ao pé do monte (vs 4). A adoração verdadeira está atrelada ao conhecimento da Palavra de Deus. Não adianta ignorar o estudo da Palavra e desejar uma “audiência” com o “dono” da Palavra.
  • Moisés sacrificou alguns touros como ofertas de paz. Graças a Deus, hoje não precisamos mais fazer isso, pois a morte de Jesus Cristo é o sacrifício perfeito que nos justificou e nos pôs em paz com Deus (Rm 5.1).

4º CUIDADO: RELACIONAMENTO REAL COM DEUS (Ex 24.8, 18)

Para ter um relacionamento real com Deus, é preciso entrar na aliança do sangue, não mais do sangue de touros, mas a aliança baseada no sangue de Jesus Cristo: “Este é o cálice da nova aliança no meu sangue derramado em favor de vós”. (Lc 22.20)

Moisés entrou na nuvem e ficou ali 40 dias e 40 noites (vs 18). Isto é uma prova incontestável de que Deus e Moisés mantinham um relacionamento real, dia e noite.

Subir o monte para orar deve ser a expressão de um relacionamento real com Deus, dia e noite.

 

CONCLUSÃO

Moisés subiu o monte para orar, seguindo as ordens e vontade de Deus. Subir o monte para orar não pode ser uma busca de experiências e sensações dramáticas. Não pode, também, ser feito de forma leviana ou, até mesmo, pecaminosa. 

Devemos reconhecer que Deus está no controle e os cuidados que devemos ter são: OBEDIÊNCIA, TEMOR DE DEUS, ADORAÇÃO e RELACIONAMENTO REAL COM DEUS.

E quanto a você, como está a sua vida de oração, como está o seu relacionamento real com Deus?

 

Título: Moisés subiu o monte
Autor: Pr Ronaldo Alves Franco
Data: 03/09/2021

Deixe seu comentário logo abaixo.


Veja também nossos demais esboços: Esboços

Moisés subiu o monte

 

 

2 comentários em “Moisés subiu o monte”

  1. Ao citar um lugar para orar, o Senhor Jesus falou de um quarto de oração e não de um monte (Mt 6.6), significando que a forma correta de orar é com o coração e não em um lugar específico. A Bíblia não apoia que em certos lugares haja mais poder para se fazer orações. Então,’orar no monte’ não significa que a pessoa terá mais poderes e comunhão com Deus por isso.

    Em outra passagem, Paulo instrui: “Quero,portanto, que os varões orem EM TODO LUGAR, levantando mãos santas, sem ira e sem animosidade”(1 Tm 2.8). Para a era da Igreja, a Bíblia não impõe nenhum lugar específico para orações (Jo 4.20-23). O lugar não é importante, mas sim um coração sintonizado com Deus.

    O Senhor Jesus subia ao monte para orar porque era um local isolado, sossegado, já que nos vales Ele não tinha sossego, por causa das multidões, nem nas cidades e sinagogas, onde costumava até ser hostilizado.

    Muitos irmãos acham que, por ficarmos mais perto do céu, receberemos poder. Ledo engano. Tal coisa mais parece misticismo evangélico. No Antigo Testamento, Deus condenava os ‘altos’ em Israel. A Bíblia não condena mas também não ordena a oração no monte.

    A experiência mostra que existem hoje muitos problemas: pessoas que vão para lá em busca de experiências místicas e espetaculares. Muitos querem ver ‘bolas de luz, anjos voando, anjos de luz, fogo que se acende sozinho, vultos não identificados, ventinho que faz as pessoas se arrepiarem, que é logo taxado de manifestação sensível e física do Espírito Santo…e por aí vai”. E ainda alguns voltam do monte cheios de soberba considerando-se mais espirituais que aqueles que não foram.

    Certa vez eu estava no grupo e muitos oravam para Deus rasgar o céu [oração de vaidade] e abrir um portal dimensional, pois queriam ver, em êxtase, o reino celestial, a cidade santa, e muitos anjos em atividade. Aí, segundo vários, e gritavam sem parar por isso, Deus os atendeu e os fez verem a passagem do anjo Gabriel sobre o céu daquele local do monte, indo, se dirigindo para alhures nas profundezas do Cosmos a fim de fazer algum trabalho para Deus. Então lhes fiz uma pergunta que está sem resposta até hoje: “O Senhor Deus faz milagre sem propósito?”

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.