De onde vens e para onde vais?

DE ONDE VENS E PARA ONDE VAIS?
Gênesis 16

Introdução: Sarai, a esposa de Abrão, NÃO manteve firme a sua fé e toma uma decisão desastrosa, a de oferecer a sua escrava Agar para dar um filho ao seu marido, mas, tão logo a criança nasce, a escrava passa a desdenhar da patroa, que reage muito mal e começa a maltratá-la.

Não suportando as violências e as humilhações da patroa, Agar foge para o deserto. Um anjo de Deus a encontra e lhe pergunta: “De onde vens e para onde vais?”.

Agar sabia de onde tinha vindo, mas não sabia para onde ir.

Ela não sabia o que fazer da vida agora. O que seria dela e da criança que carregava em seu ventre? Estava se sentindo usada, abandonada e agredida. Seu coração estava muito ferido. 

Após ouvir a sua causa, o anjo lhe dá uma ordem difícil de obedecer: Voltar para casa e se humilhar sob as mãos de Sarai. Para ajudá-la a ter coragem de voltar, o anjo lhe diz que tudo ficará bem, pois Deus também tem promessas para este filho. Este capítulo bíblico contém algumas RESPOSTAS dignas da nossa reflexão.

a) A RESPOSTA DO CASAL À “DEMORA” DE DEUS (vs 1 a 3)
Dizem por aí que Deus tarda mas não falha. Mentira! Deus não tarda nem falha, Ele age no Seu tempo, não no nosso. Cuidado quando achar que Deus está “demorando”, pois este é o momento mais frágil da nossa caminhada de fé, é o momento em que geralmente tomamos as piores decisões.

Creia, tenha paciência e faça (só) a sua parte, não tente fazer a parte de Deus, pois as consequências serão terríveis. Seria como um aprendiz impaciente tentando “terminar” uma obra prima do seu mestre, o que acabaria por prejudicar a obra toda.

b) A RESPOSTA DO CASAL AOS SEUS PRÓPRIOS ERROS (vs 5 e 6)

Quando vieram as consequências, Abrão “lava as mãos” e Sarai “desce a mão” na escrava. Nenhum dos dois pede perdão a Deus nem à escrava, e agem como tolos, tratando-a tão mal a ponto dela ter que fugir de casa. “O tolo dá vazão à sua ira” (Pv 29:11a).

O tolo não sabe que não se “limpa” erro com novos erros, que não se faz higiene com água suja, por isso Deus manda Agar de volta, como que para confrontar o pecado do casal.

Com isso, Deus está deixando claro que eles não vão se livrar do seu pecado assim tão facilmente,  eles terão que enfrentar o que fizeram, terão que assistir o desenvolvimento desta gravidez e o nascimento da criança, terão que conviver com as consequências dos seus erros (Agar ainda ficará na casa deles por cerca de 20 anos).

c) A RESPOSTA DE DEUS À SITUAÇÃO (vs 7 a 16)

A resposta de Deus à situação pode ser dividida didaticamente assim:
1. Deus deixa claro que está vendo tudo (vs 7, 13 e 14).

2. Ele dá direção a quem não sabe para onde ir (vs 8 e 9).
    “De onde vens e para onde vais?”.

3. Conforta e repara as injustiças (vs 10 a 12).
    Deus revela o sexo do bebê, escolhe o nome da criança (quanta honra) e faz promessas fantásticas para ele. Deus se torna o Pai de Ismael.

4. E suscita novos adoradores (vs 13 e 14). Mesmo sendo judiada pelo casal, Agar se torna adoradora do Deus deles. A beleza de Deus brilha na escuridão.

CONCLUSÃO
Quando nós tentamos “ajudar” Deus a fazer a parte que é exclusivamente dele, certamente cometeremos muitos erros. Se isto acontecer, arrependa-se de seus pecados. Entenda que novos erros não resolverão erros passados.

E se você foi injustiçado, tenha fé e adore ao Senhor, pois Ele é o Deus dos injustiçados. “Tu não és um Deus que tenha prazer na injustiça; contigo o mal não pode habitar”. (Salmo 5.4).

Título: De onde vens e para onde vais?
Autor: Pr Ronaldo Alves Franco
Data: 26/06/2020

Veja também nossos Artigos

De onde vens e para onde vais?

Deixe seus comentários logo abaixo.

Antes de mais nada, Senhor.
Antes de mais nada, Senhor, fazei de mim um instrumento de vossa paz.
Acima de tudo, onde houver ódio, que eu leve o amor.
Discórdia, que eu leve a união.
Em síntese, onde houver dúvidas, que eu leve a fé.
Onde houver erros, que eu leve a verdade.

Assim como, onde houver ofensa, que eu leve o perdão.
Desespero, que eu leve a esperança.
Tristeza, que eu leve a alegria.
Trevas, que eu leve a luz.

Ainda mais, ó Mestre, fazei com que eu procure mais consolar,
que ser consolado.
Antes de tudo, compreender, que ser compreendido.
Do mesmo modo, amar, que ser amado.
Pois é dando que se recebe.
Bem como, é perdoando, que se é perdoado.
Mas é morrendo que se vive para a vida eterna.
Assim como, onde houver ofensa, que eu leve o perdão.

2 Comentários em “De onde vens e para onde vais?”

  1. Sidney Ribeiro Balut

    Excelente esboço e muito útil para situações do dia-a-dia da igreja.É comum entre o povo de Deus,por se acharem muito espirituais,tratarem com uma certa arrogância aqueles que acham serem inferiores.Esta é uma das muitas situações em que este esboço pode ser usado para a glória de Deus.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.