O sal da terra

sal da terra

O SAL DA TERRA
Mateus 5.13

Propósito Geral: Exortativo.
Tema Específico: Os efeitos da presença dos cristãos.
Ideia Central do Sermão:

SOMENTE OS CRISTÃOS VERDADEIROS SÃO CONSIDERADOS POR DEUS O SAL DA TERRA.

Não basta uma pessoa querer ser “sal”, ou pensar e dizer que é “sal”. O sal verdadeiro é inconfundível, devido às suas QUALIDADES:

1. SUA CAPACIDADE DE CONSERVAR
O sal foi o primeiro conservante utilizado pela humanidade.
Todo cristão verdadeiro é um CONSERVADOR.

Ele crê na Bíblia e condena todas as formas de pecado que ela denuncia, não importando se a sociedade o considera politicamente incorreto, retrógrado, careta ou coisas semelhantes.
Ele repudia tudo aquilo o que a Bíblia denuncia, coisas tais como o adultério, a fornicação, a pornografia, as piadas indecentes, o homossexualismo, o ódio, a fofoca, etc.

O sal da terra.

2. SUA FACILIDADE EM DAR SABOR
Uma das grandes busca do ser humano é por sabor. Sabor na vida, na existência. E, nesta sua busca por sabor, enganado e iludido pelo Diabo, ele acaba experimentando vários “sabores” estragados, contaminados, venenosos.
Todo cristão verdadeiro tem o SABOR DE CRISTO e é capaz de dar um tempero especial à vida das pessoas ao seu redor.

O sal da terra.

3. SEU VALOR INTRÍNSECO
Não é à toa que a palavra “salário” vem de sal, pois, nos tempos de Jesus, o sal era tão valioso que era usado como moeda.
Todo cristão verdadeiro tem VALOR INTRÍNSECO, pois o Espírito Santo de Deus produz em seu íntimo uma série de qualidades inigualáveis, conforme nos relata Gálatas 5.22:
– Amor
– Alegria
– Paz
– Longanimidade
– Benignidade
– Bondade
– Fidelidade
– Mansidão
– Domínio próprio

O sal da terra.

Conclusão:
Se algum cristão não é Conservador, não é capaz da dar sabor à vida das pessoas ao seu redor nem tem valor intrínseco, NÃO É CRISTÃO.

O cristão verdadeiro, aquele que um dia se arrependeu de seus pecados e abriu seu coração para Jesus, este, sim, tem estas qualidades e é considerado por Deus (e também pelos homens) o SAL DA TERRA!
Deus seja louvado!

Autoria: Pr Ronaldo Alves Franco
17.02.2007