Primeiro Amor

primeiro amor

PRIMEIRO AMOR

Ao anjo da igreja de Éfeso escreva o seguinte: “Esta é a mensagem daquele que está segurando as sete estrelas na mão direita e que anda no meio dos sete candelabros de ouro. Eu sei o que vocês têm feito. Sei que trabalharam muito e aguentaram o sofrimento com paciência. Sei que vocês não podem suportar pessoas más e sei que puseram à prova os que dizem que são apóstolos, mas não são, e assim vocês descobriram que eles são mentirosos. Vocês aguentaram a situação com paciência e sofreram por minha causa, sem desanimarem. Porém tenho uma coisa contra vocês: é que agora vocês não me amam como me amavam no princípio. Lembrem do quanto vocês caíram! Arrependam-se dos seus pecados e façam o que faziam no princípio. Se não se arrependerem, eu virei e tirarei o candelabro de vocês do seu lugar – Apocalipse 2.1-5

Esse texto nos relembra a  importância do Primeiro Amor por Jesus e pela obra de Deus.

1. TRABALHAR PARA JESUS É IMPORTANTE, MAS, SEM AMOR, ESSE TRABALHO NÃO VALE NADA
     A igreja de Éfeso era bem ativa, mas já não faziam a obra de Deus por amor.
     Quando o amor esfria, a igreja se torna “ativista”. E ativismo pode ser uma doença.
     Jesus quer uma igreja que faz a obra, com paciência, perseverança e AMOR.
     Qualquer obra para Jesus sem o calor do primeiro amor não vale nada.

2. DISCERNIMENTO É INDISPENSÁVEL, MAS, SEM AMOR, ESSE DISCERNIMENTO NÃO VALE NADA
    Muitas igrejas não têm discernimento. Aceitam todas as mensagens, “revelações”, “profecias” e “homens de Deus” sem por nada à prova (prova bíblica), Éfeso, porém, era uma igreja experiente, com muitos anos de existência, que já tinha aprendido a separar o joio do trigo, o certo do errado, o salvo do perdido, o homem de bem do homem do mal, mas não tinha amor.
    Jesus quer uma igreja sábia, com capacidade de discernimento, mas sem perder o amor.

3. SOFRER POR CAUSA DO REINO DE DEUS É LOUVÁVEL, MAS, SEM AMOR, ESSE SOFRIMENTO NÃO VALE NADA
     Éfeso era uma igreja com grande capacidade de resistir ao sofrimento. Sofria por problemas internos, por ataques de fora, pelas investidas dos falsos profetas e dos falsos apóstolos, mas não desistia da sua tarefa nem da sua missão.
     No entanto, tudo isso era feito sem o primeiro amor. Para eles, sofrer por Cristo era quase uma obrigação.
     Toda igreja passa por momentos difíceis e deve ser perseverante, no entanto, essa perseverança deve ser fruto do nosso amor.

CONCLUSÃO
Éfeso era uma igreja bem ativa, com uma excelente capacidade de discernimento e uma incrível resistência aos sofrimentos, no entanto, tudo que ela fazia era sem o calor do primeiro amor.

Jesus aprecia tanto o primeiro amor que convidou a igreja de Éfeso ao arrependimento, a uma mudança radical em sua maneira de servir a Deus, que ela já havia experimentado: O primeiro amor.

E quanto a nós?

Autor: Pr Ronaldo Franco
17/01/2016

primeiro amor

3 Comentários em “Primeiro Amor”

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *