Os privilégios advindos da justificação

Os privilégios advindos da justificação

OS PRIVILÉGIOS ADVINDOS DA JUSTIFICAÇÃO (Rm 5.1-4)

Propósito Geral: Doutrinário
Tema Específico: A justificação nos traz privilégios extraordinários.

Explicação do termo “Justificação”:
O que é essa ideia de justificar, encontrada no texto? A palavra grega dikaioo, traduzida como justificar, pode significar fazer justo, declarar justo ou considerar justo. A palavra vem da mesma raiz de dikaiosune, justiça, e a palavra dikaioma, requisito justo. Somos justificados quando somos “declarados justos” por Deus. Antes dessa justificação, a pessoa é injusta e, deste modo, inaceitável a Deus; depois da justificação, ela é considerada justa e, portanto, aceitável a Ele. E isso só acontece por meio da graça de Deus. Graça significa favor. Quando um pecador se volta para Deus em busca de salvação, é um ato de graça considerar ou declarar que essa pessoa é justa. É favor não merecido, e o que busca a Deus é justificado sem nenhum mérito de sua parte, sem nenhuma alegação para apresentar a Deus em seu favor a não ser seu absoluto desamparo. A pessoa é justificada pela redenção que há em Cristo Jesus, a redenção que Jesus oferece como substituta e segurança do pecador. A justificação é apresentada em Romanos como um ato ocorrido em um tempo determinado. Em um momento, o pecador está fora, injusto e não aceito; no momento seguinte, após a justificação, a pessoa está dentro, aceita e justificada.

Os privilégios advindos da justificação.

IDEIA CENTRAL
A JUSTIFICAÇÃO TRAZ CONSIGO PRIVILÉGIOS EXTRAORDINÁRIOS.


Primeiro privilégio apontado em Rm 5.1-4
:  PAZ PARA COM DEUS (vs. 1).
Antes, vivíamos em guerra contra Deus, rebeldes, pecadores, degenerados, perdidos, condenados sob a ira de Deus (João 3.36) . Mesmo o melhor dos homens, sem Cristo, é um pecador compulsivo, vivendo à revelia da vontade e santidade divina, indesculpável.
Ao sermos justificados, deixamos de ser oposição à Deus e nos tornamos seus servos, filhos, amigos.

Os privilégios advindos da justificação.

Segundo privilégio apontado em Rm 5.1-4: A MEDIAÇÃO DE JESUS CRISTO (vs. 1)
Como é extraordinário quando alguém faz mediação por nós, não é mesmo? Uma indicação nos facilita entrar num bom emprego, conhecer as pessoas certas, concorrer às boas oportunidades, participar de eventos importantes, ganhar, comprar, vender, namorar, casar etc.
Agora pense como é grande este privilégio, o de termos Jesus Cristo, o Filho de Deus, intermediando a nossa paz para com Deus, por meio da fé.

Os privilégios advindos da justificação.

Terceiro privilégio apontado em Rm 5.1-4: ACESSO À GRAÇA DE DEUS (vs. 2).
Graça é favor imerecido; são as bênçãos de Deus aos que nada merecem.
Ao sermos justificados, temos, agora, pleno acesso à graça de Deus, por meio de Jesus Cristo (Hb 4.14-16).

Os privilégios advindos da justificação.

Quarto privilégio apontado em Rm 5.1-4: O GLORIAR-SE NA ESPERANÇA DA GLÓRIA DE DEUS (vs. 2).
Podemos, agora, nos alegrar na esperança de participar da glória de Deus (lembrando que esperança em Deus não é sonho, quimera ou aspiração, mas, sim, a certeza de algo que efetivamente vai acontecer: basta esperar, é só uma questão de tempo). Essa esperança jamais decepciona (Rm 5.5).

Os privilégios advindos da justificação.

Quinto privilégio apontado em Rm 5.1-4: O GLORIAR-SE NO SOFRIMENTO (vs. 3 e 4).
Ao contrário dos “crentes” de hoje, que choram feito bebezinhos, se desesperam ou se revoltam contra Deus por causa do sofrimento, o Apóstolo Paulo nos diz que os [inevitáveis] sofrimentos da vida cristã não são algo ruim, mas, enfrentados de cabeça erguida, com a dignidade que a fé em Cristo nos proporciona, eles são motivo de alegria (glória), pois “os sofrimentos produzem a paciência, a paciência traz a aprovação de Deus, e essa aprovação cria a esperança”. Esperança que jamais decepciona!

Os privilégios advindos da justificação.


Conclusão

A justificação nos traz, sim, privilégios extraordinários.
Deus seja louvado!

 

Autoria: Pr Franco

Data: 05.10.2013

Os privilégios advindos da justificação.