O quinto evangelho (denúncia)

 O QUINTO EVANGELHO

de Juan Carlos Ortiz

Deus deixou-nos 4 Evangelho:
1. O Evangelho Segundo São Mateus
2. O Evangelho Segundo São Marcos
3. O Evangelho Segundo São Lucas
4. O Evangelho Segundo São João

Em todos eles Jesus Cristo é apresentado como o Senhor, o centro de tudo.

 

Mas, há um novo evangelho na praça, moderno, em que o homem é o centro de tudo.

Eu o chamo de O Quinto Evangelho”. É o “Evangelho Segundo os Santos Evangélicos”. Este último é um apanhado geral dos outros quatro; são textos que recolhemos aqui e ali, neles. Pegamos as passagens que mais gostamos, as que oferecem ou prometem alguma coisa (Um espécie de “Caixinha de Promessa”) – como João 3.16 ou 5.24 e assim por diante – e construímos nossa “teologia sistemática” em torno delas, e esquecemos todos os outros versos que apresentam as ordenanças do SENHOR Jesus Cristo.

É verdade que nos 4 Evangelhos encontramos muitas promessas para o povo de Deus, mas, também encontramos Seus mandamentos.

Quem autorizou tal liberdade? Quem disse que tínhamos permissão para apresentar apenas as promessas?

Suponhamos que estamos assistindo a um casamento, e quando chega o momento de o casal repetir os votos matrimoniais, o noivo diz: “Pastor, eu aceito esta mulher como minha cozinheira particular”, ou “como minha arrumadeira pessoal”. O quê?

A noiva provavelmente diria: “Ei, espere um pouco! É verdade que eu vou cozinhar, vou lavar a louça, vou arrumar a casa. Mas não vou ser sua empregada – vou ser sua esposa. Você terá de amar-me, dar-me seu coração, seu lar, seus talentos – tudo!”.

Com Jesus também é assim. Ele é nosso Salvador e Médico. Tudo isso é verdade. Mas não podemos recortar Jesus em partes e escolher apenas as partes que mais nos agradam.

Estamos nos comportando como criancinhas que recebem uma fatia de pão com geléia. Lambem a geléia e depois devolvem o pão. A mãe passa um pouco mais de geléia, e novamente elas lambem a geléia e devolvem o pão.

O Senhor Jesus é o Pão da Vida, e talvez o céu possa ser comparado com o doce. Mas temos que comer o pão e a geleia.

Seria muito interessante se durante um congresso de teólogos eles chegassem à conclusão de que não existe céu nem inferno. Quantas pessoas permaneceriam em suas igrejas depois que tal descoberta fosse divulgada? A maioria sairia: “Se não existe nem céu nem inferno, para que estou vindo aqui?”

Elas têm frequentado a igreja apenas por causa da geleia, atendendo a seus próprios interesses – para se curarem, se realizarem, se sentirem felizes, para escaparem do inferno, para chegar ao céu. Eles estão seguindo…

O QUINTO EVANGELHO

Quando Pedro concluiu seu sermão no Dia do Pentecostes, ele deixou bem claro o seguinte: “Esteja absolutamente certa, pois, toda a casa de Israel de que a este Jesus que vós crucificastes, Deus o fez SENHOR e Cristo”. (At 2.36)

Este era o tema da sua mensagem. Quando aquela gente compreendeu que Jesus era realmente o SENHOR, ”compungiu-se-lhes o coração” (vs 37) e começaram a tremer: “Que faremos, irmãos?”  indagaram eles. A resposta foi: “Arrependei-vos, e cada um de vós seja batizado em nome de Jesus Cristo para remissão dos vossos pecados, e recebereis o dom do Espírito Santo”.  (vs 38).

O evangelho ensinado por Paulo acha-se resumido no Livro aos Romanos 10.9: “Se com a tua boca confessarem a Jesus como Senhor, e em teu coração creres que Deus o ressuscitou dentre os mortos, serás salvo”.  Ele é o SENHOR. Ele não é apenas o Salvador.

Deixe-me dar um exemplo a respeito deste Quinto Evangelho: Em Lucas 12.32, lemos o seguinte: “Não temais, ó pequenino rebanho; porque vosso Pai se agradou em dar-vos o seu reino”. Este verso é altamente apreciado por todos os crentes. Mas, e o verso seguinte: “Vendei os vossos bens e daí esmolas”?

Nunca ouvi um só sermão baseado neste verso, porque não pertence ao Quinto Evangelho. O verso 32 se encontra no Quinto Evangelho, mas o verso 33 não – e ele é uma ordenança de Jesus.

Jesus ordenou que não matássemos.
Jesus ordenou que amássemos nosso próximo.
Jesus ordenou que vendêssemos os nossos bens e déssemos esmolas.

Quem está autorizado a decidir quais os mandamentos de Deus que são obrigatórios e quais são optativos? O Quinto Evangelho introduziu uma estranha inovação: mandamento optativo. Você faz se quiser, mas se não quiser, está tudo certo também. É como se o Departamento de Trânsito lançasse um novo código de trânsito, mas escrevesse na capa: “Estas novas leis de trânsito são optativas; você cumpre se quiser”. Estranho, não?

Mas não é assim o genuíno Evangelho do Reino. No verdadeiro Evangelho Jesus Cristo é o Senhor, o comandante, o “manda-chuva”, aquele que determina, que não pede – manda.

Ou você obedece, ou é rebelde.

Ele disse: “Se alguém me ama, guardará as minhas palavras”. João 14.23a

E disse também: “Quem me rejeita e não recebe as minhas palavras tem quem o julgue; a própria palavra que tenho proferido, essa o julgará no último dia”. João 12.48


Você ama Jesus?
Qual evangelho você segue?

Pr Juan Carlos Ortiz (adaptado por Pr Franco)
Fonte: Livro O discípulo, Editora Betânia.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *