O celular dos ETs

O CELULAR DOS ETs

Um sujeito encontrou um celular no quintal da sua casa. Estranhou as letras e os números, mas, ao apertar as teclas, uma ligação se completou:
– Alô?
– Alô… quem fala?
– É o seguinte, eu encontrei este celular no quintal da minha casa. Por acaso, ele lhe pertence?
– Sim, ele caiu da nossa nave, enquanto fazíamos umas manobras.
– Nave?
– Sim, você pode guardá-lo para nós, até à nossa volta?
– Claro! Vai ter alguma recompensa?
– Recompensa? Não havia pensando nisso, mas, tudo bem. Vou recompensá-lo, sim! Faça o seguinte, quando você precisar de alguma coisa, aperte a tecla dourada e faça um pedido.
– Como?
– Essa vai ser a sua recompensa, quando você precisar de alguma coisa, basta apertar a tecla dourada…
tuh, tuh, tuh… 

Nesse momento, a ligação caiu. O sujeito não entendeu muito bem as instruções, mas, apertou a tecla dourada e disse:
– Alô, ó, é o seguinte, ó, eu tô precisando de um emprego, será que você tem como me ajudar nisso? Um emprego, tipo assim, “manero”, entendeu? Ganhar bem… perto de casa… Valeu?

Ele estava tão ansioso que nem percebeu que desta vez ninguém atendeu à sua ligação, mas, de repente, o aparelho todo se acendeu, começou a vibrar e emitiu um feixe de laser em direção à uma empresa que ficava bem em frente à sua casa. Então, do nada, o dono da empresa saiu para fora e, mesmo contra sua vontade, sem entender porque, ofereceu-lhe em excelente emprego. Bom salário. Horário livre. Do lado de casa. Do jeitinho que ele pediu. Aceitou na hora!

Era muita coincidência. Ele precisava testar o aparelho de novo. Como não tinha roupa adequada para o novo emprego, apertou mais uma vez a tecla dourada e pediu:
– Alô, ó, esse lance do emprego foi legal, viu? “Brigado”. Mas, é o seguinte, ó, eu tô precisando de umas roupas novas, também, entendeu? Sabe como é, né? Emprego novo… roupa nova.

Outra vez, ninguém atendeu a sua ligação e ele nem percebeu, mas o aparelho funcionou sozinho, de novo, acendeu-se todo, vibrou e emitiu um feixe de laser em direção ao seu guarda-roupa e, pimba! O guarda-roupa encheu-se de roupas novas.

Ele ficou maravilhado com o poder daquele celular. No começo só pedia coisas essenciais, mas, logo estava pedindo coisas supérfluas, desnecessárias.

Um ano depois os ETs voltaram e ficaram aterrorizados com a confusão que se tinha armado. Aquele sujeito tornara-se o maior e mais sangüinário ditador de toda a história da raça humana. Dominava o mundo inteiro. Todas as nações se ajoelhavam diante dele. Todos o temiam. Ninguém sabia como, mas, tudo o que ele falava acontecia. Fossem coisas boas ou más. Ninguém podia resistí-lo.

Os ETs entraram de fininho em seu quarto fortificado e recolheram o aparelho, antes que o sujeito o usasse contra eles.

Pr Ronaldo Alves Franco


Pedis, e não recebeis, porque pedis mal,
para o gastardes em vossos deleites.

Tiago 4.3

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *